Dia Mundial  Sem Carro

No próximo domingo, dia 22, será comemorado o Dia Mundial Sem Carro. A proposta do movimento é fazer as pessoas repensarem o uso excessivo de veículos que acabam prejudicando o meio ambiente e até estresse nas grandes cidades por causa do trânsito intenso. Com a ausência do veículo, a ideia também faz com que as pessoas economizem mais dinheiro e pratiquem mais atividades físicas. 

 

 Rebeca Toyama, especialista em direitos humanos,fala que a troca do carro por outras formas de mobilidade trás muitos benefícios. Ela mesma afirma que já abriu mão do próprio automóvel há alguns anos. 

 

A especialista fala que o trânsito excessivo deixa as pessoas estressadas e cansadas e isso tem um reflexo negativo no rendimento do trabalho, que pode ser prejudicado. Fora o fator psicológico, ainda há a questão dos gastos, que são bem altos quando se tem um carro. Por isso, Rebeca Toyama fez uma lista para você repensar o uso do seu automóvel. Mas calma, não é para você se desfazer do seu possante, apenas analise se realmente tem diso um bem útil no seu dia a dia. 

 

Fazer as contas é o primeiro passo

quanto custa ter um carro para ir e voltar do trabalho? Essa conta, além do combustível deve considerar itens como seguro, licenciamento e IPVA, revisões e manutenção, estacionamento e a depreciação do carro ao longo do tempo. A soma deve ser dividida em 12 meses. Exemplo: Um carro novo compacto com motor 1.0 tem valor médio de R$ 35 mil, e perde cerca de R$ 2 mil por ano, em valor de mercado, somente esse item custará cerca de R$ 6.000 por ano.

 

Programar-se para usar o transporte

Muitas vezes por mera comodidade não estudamos uma alternativa. Ir de bicicleta até uma estação de metrô e pegar uma carona até um local próximo do transporte mais rápido, são possibilidades e há inclusive aplicativos que ajudam na escolha. Sem contar que doses diárias de sol ajudam a manter os bons níveis de vitamina D.

 

Pensar em quantas atividades podemos desenvolver no tempo de deslocamento

Ao invés de perder 1h no trânsito ou mais tempo, esse mesmo intervalo pode servir como tempo para estudar um assunto novo, colocar a leitura em dia, fazer um curso online, ouvir um podcast, entre outros.

 

Precisa de um carro eventualmente? Alugue!

Viver sem carro não significa ignorar que ele existe. Em caso de uma viagem de final de semana ou mesmo férias, para dias chuvosos ou para fazer compras, os carros de aplicativos ou a locação saem mais em conta do que ter um automóvel próprio.

 

Apostar no convívio

Ir e voltar com um amigo do trabalho, compartilhar o carro com pessoas que moram na mesma região, interagir com o grupo de pessoas que usam um ônibus fretado, as possibilidades são infinitas. É questão de pesquisar, acionar os amigos e mobilizar-se com um pouco de programação.

 

 

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *